Jornal Correio do Estado - O Jornal que todo Mundo lê

Notícias - Saúde

Médico de Linhares dá alerta sobre doenças típicas da primavera

26 de Setembro de 2017 Autor: Caroline Pereira

Médico de Linhares dá alerta sobre doenças típicas da primavera

Embora seja conhecida como a estação das flores, a primavera, que começou no último dia 22, cria condições para que algumas doenças se manifestem entre a população. De acordo com o especialista em clínica médica, dr. Marcos Vinicius  da Silva Andrade, que atua em Linhares, o pólen das flores disperso no ar aumenta as chances de uma pessoa apresentar quadros de alergia, como acontece na rinite, bronquite, asma e conjuntivite.

O médico também emite um alerta sobre as doenças que voltam a ser manifestar nessa época do ano devido ao aumento da temperatura, como dengue, zika, chikungunya, rubéola, catapora, entre outras.

Para as pessoas que sofrem com as alergias causadas pelo pólen, o especialista sugere que elas evitem permanecer em áreas críticas (com muita incidência de flores, por exemplo) e lavem, com certa frequência, o nariz e olhos – áreas que costumam ser as mais afetadas pelas irritações. Doenças virais, como rubéola e catapora, podem ser evitadas com a manutenção das vacinas em dia, conforme recomenda o médico.

Já em relação às doenças causada pelo Aedes aegypti e outras epidemias críticas para o Brasil, o dr. Marcos diz que a prevenção exige um trabalho mais amplo, que vai desde o uso de repelentes até o monitoramento de possíveis criadouros do mosquito em torno das residências.

Além das altas temperaturas, o aumento das chuvas esperado para os próximos meses também redobra o alerta quanto à dengue. No Espírito Santo, os meses de outubro, novembro e dezembro, que compreendem o período da primavera, são os mais chuvosos do ano, segundo dados da equipe de meteorologia do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper).

Grupos de atenção

Assim como ocorre em diversas questões relacionadas à saúde, as crianças e os idosos, normalmente, sofrem mais com as doenças da primavera por serem menos imunes a vários fatores. No entanto, o dr. Marcos diz que jovens e adultos também devem permanecer atentos aos sintomas e atuar na prevenção. Complicações e casos mais graves dos problemas citados devem ser solucionados com ajuda médica

FOTO: r. Marcos Vinicius da Silva Andrade, especialista em clínica médica (Foto: Arquivo Pessoal)

 

 



    Comentários (0) Enviar Comentário